quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Steinbier ou Stone beer

“Stein”, pedra em alemão, além de também significar vasilhames bávaros feitos de pedra usados para beber, faz referência a um método antigo de fazer cerveja.


Nos primórdios, a cerveja era feita em caldeiras de madeira, e não era conveniente botá-las para ferver diretamente sobre o fogo. Por isso, a alternativa era esquentar pedras e colocá-las dentro do recipiente. Esse era o único método pelo qual o mosto poderia ser fervido. Isso não apenas levava a bebida à fervura, como também caramelizava alguns dos açúcares do malte.


Aquecendo as "steins" (Bavária, Alemanha, 1999)

Quando a cerveja era retirada da caldeira, resfriada e posta no fermentador, as pedras também iam. O resultado era uma cerveja com sabor defumado e um suave residual adocicado de malte.


Fazendo Rauchenfels Steinbier (Bavária, Alemanha, 1999)


Antigamente, as Steinbiers eram preparadas como Ales, até porque esse método era utilizado antes da descoberta do fermento lager, mas hoje em dia elas são todas lagers.



No sub-estilo Steinweizen, o resultado final importa um sabor defumado, de toffee, tipo melaço. E a bebida consegue ser leve no corpo, limpa no paladar, e ainda manter a refrescância da cerveja de trigo.


A Boscos, do Tenesse, EUA, foi a primeira cervejaria norte-americana a fazer stone beer com regularidade.

Bosco's Famous Flaming Stone Beer


A original é a Rauchenfels, em Neustadt, Alemanha.

Rauchenfels Steinbier

Na Boscos, pedaços quentes de granito de Colorado são aquecidos a 700°F (371°C) no forno a lenha da própria cervejaria e jogados no mosto durante o processo.

A Boscos começou a fazer a Famous Flaming Stone Beer em 1993, e o procedimento varia de acordo com a localização. Em Memphis, os caramelos formados no granito são preservados e guardados enquanto a cerveja está fermentando. Quando o precioso líquido está pronto para ser filtrado, os caramelos são lavados para dentro da bebida (lavar a pedra, deixando cair na cerveja o caramelo que se formou em sua crosta - nota dessa humilde tradutora), ficando presentes no produto final. Em Nashville, o mesmo não ocorre. Os caramelos são deixados na pedra e queimam quando ela é aquecida novamente, resultando num suave gosto defumado (descrito pela própria cervejaria, porque eu mesma nunca tive o prazer).

A "Famous Flaming Stone Beer" foi citada no livro do Michael Jackson, Ultimate Beer, e ganhou 3 estrelas no “Michael Jackson’s Pocket Guide to Beer”, tendo como comentário um “vale a pena procurar” ("worth seeking out").

Cervejeiros caseiros dos Estados Unidos também se aventuram nessa arte.

Homebrewers de Columbia, Carolina do Sul


A pedra só faz o mosto ferver por uns 15 minutos. Depois disso tem que ser no fogo mesmo.

Eis o vídeo de outro homebrewer se aventurando:

video

Um Brinde !

Fontes: Santo Google ; German Beer Institute ; Boscos Beer ; Addicted to BBQ ; Webshots ; e tradução livre feita pelo cervejeiro Bruno Boca do livro "Eyewitness Companions: Beer(Editor-in-Chief Michael Jackson)"

3 comentários:

Anônimo disse...

Se melhorar estraga o post. Vou fazer uma stein bier, em breve, muito em breve.
Bjs,
Botto

Ricardo Rosa disse...

Belo post!

E está aí um bom projeto pra próxima cerveja da ACervA!!!

FemAle Tatiana disse...

Ricardo, você poderia trazer os granitos rosados de Colorado!!
Nem ocuparia tanto espaço na mala. rs.
beijos